domingo, 25 de agosto de 2013

poema 9


Esqueci o poema
Que tinha na boca
E na ponta dos meus dedos;
Foi-se pelos ares turvos
Deste dia nublado.
E ressoa nos meus ouvidos
- ainda, ai deus!, ainda...-
O dedilhar do violão milongueiro.

Onde anda o poema?
Cadê este poema alegre?
Eu queria escrever um poema alegre...

Mas hay que ser triste
Para ser poeta?

Quanta dor nos meus olhos fatigados...
Quantas pedras em meu caminho...
(mas eu prefiro o bem-te-vi pousado
Na ponta do telhado, e que me grita


- Qué bueno que te vi, qué bueno que te vi!)

Um comentário:

  1. Que bem lindo! Adorei!

    Bjão

    Anne
    http://anne-lifeliving.blogspot.com

    ResponderExcluir